Cirurgia robótica

Cirurgia robótica: conheça o procedimento

Com a junção entre a evolução tecnológica e a medicina, foram desenvolvidas novas possibilidades de tratamentos e procedimentos cirúrgicos. Uma das mais revolucionárias foi a criação do robô “Da VinciⓇ”para a realização de cirurgias robóticas. Já tinha ouvido falar neste instrumento? Essa inovação trouxe muitos benefícios à medicina. Continue a leitura para entender mais sobre o tema.

O que é a cirurgia robótica?

É um dos procedimentos menos invasivos existentes no mundo. No Brasil, a primeira cirurgia realizada com o auxílio de robôs foi em 2008. De lá pra cá, já foram mais de 5.000 procedimentos concluídos. Essa tecnologia oferece a ampliação da imagem do campo cirúrgico em visão 3D, além de permitir a execução de movimentos articulados que simulam mãos humanas, aumentando a capacidade operacional do cirurgião.

Como o robô cirúrgico funciona?

Quando falamos em cirurgia robótica, as pessoas logo imaginam que é um procedimento feito exclusivamente por robôs, sem a presença de humanos. Isso não é verdade. O robô não é autônomo, e esta sempre controlado por dois cirurgiões. O principal fica no chamado console de comando. Lá ele controla os movimentos dos braços do robô e define quais manobras cirúrgicas as pinças irão fazer. O segundo cirurgião, ou auxiliar, fica no campo cirúrgico, ao lado do paciente, e controla a colocação, troca e retirada das pinças, alem de muitas vezes inserir materiais na cavidade e contribuir com seus movimentos quando os do robô não são suficientes. Ou seja, o robô nao se move sozinho e faz apenas aquilo que os cirurgiões querem que seja feito. Outra questão importante para se saber é que em caso de falha técnica do equipamento, algo extremamente raro, o robô para de se movimentar, mas nunca faz movimentos equivocados. Nessas situações o cirurgião auxiliar retira os braços robóticos do paciente, o sistema é reiniciado e a cirurgia recomeça normalmente.

Quando a cirurgia robótica é indicada?

A cirurgia robótica surgiu com o objetivo de reduzir o tamanho das incisões que eram feitas nos procedimentos tradicionais, mas, principalmente, reduzir a dor dessas incisões. Na cirurgia torácica, ele pode auxiliar em qualquer cirurgia que é realizada por toracoscopia, sendo assim as principais contribuições são para grandes ressecções pulmonares (segmentectomias anatômicas, lobectomias e pneumonectomias) e cirurgias do mediastino (linfadenectomia mediastinal, timectomia e ressecção de tumores de mediastino).

Vantagens da cirurgia robótica

Essa cirurgia proporciona vantagens tanto para o cirurgião quanto para o paciente. Os benefícios para os médicos incluem:
  • melhor visualização do campo cirúrgico em 3D;
  • maior controle e a precisão dos movimentos;
  • melhor ergonomia.
O paciente também é muito beneficiado pelo uso dos robôs, por exemplo:
  • menor tempo de internação;
  • risco reduzido de infecções, sangramentos e complicações;
  • pós-cirúrgico menos dolorido e mais rápido;
  • realização de cortes mínimos, com menores cicatrizes;
  • maior segurança do procedimento.
Como você percebeu, o advento da cirurgia robótica é um marco na história da medicina. Com o passar dos anos, mais procedimentos serão realizados dessa forma, mais resultados satisfatórios serão obtidos e menor será o risco cirúrgico. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho em cirurgia torácica em Belo Horizonte!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp