derrame pleural

Derrame pleural: entenda e doença

Tanto o nosso pulmão quanto a caixa torácica são revestidos por uma membrana chamada de pleura (temos duas). Ela tem a função essencial de evitar o atrito decorrente da expansão e contração que ocorrem devido à respiração. Já o derrame pleural é o nome dado quando existe um acúmulo anormal de líquido no espaço ente as membranas. Quer entender mais sobre o derrame pleural? Continue a leitura e saiba quais são suas causas e sintomas!

Principais causas do derrame pleural

O nosso organismo necessita de algumas proteínas específicas que são fundamentais para garantir que a água permaneça dentro dos vasos sanguíneos. Se essas proteínas estão em falta, a pessoa tem maiores riscos de ter esse problema. Mas não é somente isso! Doenças do coração, lúpus, artrite reumatoide, tuberculose, pancreatite, pneumonia, doenças hepáticas, doenças renais, embolia pulmonar e vários tipos de sangramentos também são consideradas como possíveis causas dessa condição. Outro ponto muito interessante, tanto para indicação do que pode estar acontecendo quanto para o processo de tratamento é a cor do líquido. Quando ele tem uma coloração que lembra o sangue ou pus, pode ser sinal de que a pessoa tem inflamações, tumores e infecções pulmonares. Por outro lado, se o líquido for claro, há maiores de chances de um tratamento bem-sucedido — além disso, ele indica que a causa pode ser algum fator externo ao pulmão, como cirrose e insuficiência cardíaca.

Sintomas do derrame pleural

Os sintomas dessa doença podem variar muito de uma pessoa para outra. Dentre os mais característicos temos: – dificuldades e dores ao respirar, especialmente quando o ar é inspirado profundamente; – nível maior de cansaço ao realizar atividades que exijam mais esforço; – falta de ar, mesmo quando a pessoa está em repouso; Uma vez que o derrame pleural pode ter alguma relação com vários outros tipos de condições, é natural que outros sintomas também sejam manifestados, a exemplo de episódios de febre. Em situações mais complexas, as costelas do indivíduo podem apresentar uma elevação anormal, como se algo as estivesse empurrando da parte interna para a externa.

Tratamentos disponíveis

Quando os derrames pleurais são pequenos, nem sempre o tratamento é necessário, embora possa ser preciso tratar o quadro clínico relacionado. Nesses casos, é comum que o paciente faça uso de analgésicos até que a drenagem natural do líquido ocorra ou até que um procedimento seja realizado. Já nos casos mais graves pode haver a necessidade de alguns procedimentos de drenagem ou medidas mais sérias, especialmente quando a pessoa não consegue respirar direito. Esse procedimento também ajuda muito a melhorar a falta de ar. Uma das técnicas usadas para a extração do líquido é a toracocentese. Mesmo considerando que geralmente a sua finalidade é o diagnóstico, os especialistas podem, por meio dela, retirar com segurança até 5 litros de líquido por vez. O derrame pleural tem tratamentos que se mostram muito eficazes, incluindo antibióticos, diuréticos e a drenagem do líquido. Entretanto, a pessoa precisa estar atenta ao seu corpo para procurar por ajuda médica quanto antes para que o tratamento seja iniciado o mais rápido possível. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho em cirurgia torácica em Belo Horizonte!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp